Notícias
Foto: Arquivo Pessoal.

Desde março, Clube tem aulas de dança no formato online

A nova realidade da pandemia pegou a todos de surpresa. Com a Escola de Dança do Clube Curitibano não foi diferente. Tanto a Escola quando a Pré-Companhia e a Companhia precisaram se adequar à vida online e reaprender a dançar e ensaiar pelo computador. A coordenadora das turmas e equipes, Marlene Rodak, se reuniu com os professores Deborah Atherino, Nathalia Tedeschi, Laudo Pires e Eraldo Kühl para encontrar a melhor maneira de manter a técnica e entreter os associados.

Foram desenvolvidos desafios, como por exemplo, a coreografia do Shim Sham Shimmy, que foi reproduzida pelos alunos do Sapateado. Além disso, a teoria da dança também entrou em cena, com textos, fotos e vídeos sobre os fatores do Laban (espaço, tempo, fluência, peso). Vídeos de aquecimento, alongamento e movimentos de ballet também foram compartilhados nas redes sociais com os alunos.

O próximo passo foi o desenvolvimento das aulas via Zoom. Os professores focaram na manutenção corporal e técnica em aulas que acontecem durante a semana, divididas por turma. Além disso, aulas ao vivo todas as segundas e quartas, às 15h, complementam a programação.

Fotos: Arquivo Pessoal.

“Fazer aula em casa requer disponibilidade para expor seu quarto ou sua sala, expor sua vida privada no zoom. É estar se exercitando e o cachorro latindo, o aspirador de pó sendo ligado. É iniciar a aula com o vídeo fechado porque ainda tem que retirar as roupas jogadas na cama ou até o lanchinho, é fazer aula de fone porque provavelmente esteja dividindo o espaço com irmãos ou pais em home office. E principalmente o desafio está em manterem-se positivas”, conta Marlene Rodak. Ela ainda menciona as dificuldades da quarentena, que trouxe novas formas de convivência e aprendizado para as famílias.

O Clube Curitibano, por meio de seus professores, preza pelo bem estar de cada uma das bailarinas. Por isso, o acompanhamento online também inclui entender como estão os humores das alunas, facilitar a harmonia entre o corpo e as emoções e incentivar a união. O lema de todas as turmas é “vamos lutar juntas!”.

A reinvenção é necessária e incentiva o crescimento tecnicamente e também como pessoa. “A arte canaliza sentimentos e emoções e transforma em uma nova energia”, Marlene finaliza.

Leia Também:

Dança Julina encerra o mês com fofura e diversão

Confira a programação do Curitibano Cine Drive-in

Compartilhe

Veja mais

Fique por dentro das novidades