Notícias
Foto de uma Contação de Histórias realizada no Clube Curitibano. Foto: Cintya Hein

Comemore o Dia Internacional do Livro Infantil

A Pequena Sereia, O Patinho Feio, Soldadinho de Chumbo… O que todas essas histórias têm em comum? Elas foram escritas por Hans Christian Andersen, conhecido como o primeiro autor de fábulas direcionadas às crianças. H.C.A nasceu no dia 2 de abril e, por isso, essa data foi escolhida para celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil. O Clube Curitibano também comemora o dia de hoje trazendo um pouco de literatura e história para esta quinta-feira. 

Muito mais do que histórias para dormir, os contos e fábulas infantis transmitem valores morais, que acompanham a criança ao longo da vida. Em qualquer idade, a leitura ajuda na formação de cidadãos críticos, melhora o vocabulário, desenvolve a criatividade e auxilia na descoberta de diferentes universos, trabalhando o respeito e a aceitação ao próximo. 

O hábito da leitura pode ser desenvolvido de forma natural, com o auxílio dos pais e educadores, sempre relacionando os livros a um momento interessante, de acordo com a idade e os limites da criança. Ler para uma criança cria uma conexão afetiva e intelectual entre o pequeno e seu mestre ou familiar.

Também é interessante entender que existem etapas de leitura na infância: pré-leitor, leitor iniciante, leitor em processo, leitor fluente e leitor crítico. Por isso a escolha adequada dos livros e as abordagens de leitura são fundamentais para manter a criança envolvida com a literatura. 

Outros autores 

Além de Hans Christian Andersen, outros autores clássicos são lembrados na história dos livros infantis. O francês Charles Perrault, por exemplo, é considerado o Pai da Literatura Infantil, por ter publicado histórias que eram contadas apenas oralmente por gerações no livro Histórias ou contos do tempo passado com moralidades. Perrault também escreveu Chapeuzinho Vermelho, A Bela Adormecida, O Pequeno Polegar e Cinderela. 

Na Alemanha, os famosos Irmãos Grimm foram os responsáveis por adaptar histórias já conhecidas. A principal diferença é que antes, as fábulas causavam medo nas crianças, e os escritores resolveram suavizar com finais felizes e motivadores. 

O livro infantil no Brasil 

Monteiro Lobato deu início ao gênero em 1920, com o lançamento de A menina do Narizinho Arrebitado, livro que deu origem à toda coleção do Sítio do Pica-pau Amarelo. 

Outros autores, como Ana Maria Machado, Roger Mello e Lygia Bojunga, foram os brasileiros que já ganharam o Troféu Hans Christian Andersen, considerado o “Nobel da literatura infantil”. 

Vale mencionar ainda as obras de Maurício de Sousa, Ziraldo, Ruth Rocha, Pedro Bandeira, Tatiana Belink, entre outros.   

Para ler em casa 

O Clube Curitibano selecionou algumas obras, entre clássicos e contemporâneos, que podem ser lidos por você e seu pequeno para comemorar o Dia Internacional do Livro Infantil. Confira: 

Meu pé de laranja lima – José Mauro de Vasconcelos (Ed. Melhoramentos)

A bolsa amarela – Lygia Bojunga (Ed. Casa Lygia Bojunga) 

Marcelo, Marmelo, Martelo – Ruth Rocha (Ed. Salamandra) 

Menina bonita do laço de fita – Ana Maria Machado (Ed. Ática) 

O Menino Maluquinho – Ziraldo (Ed. Melhoramentos) 

A vida íntima de LauraClarice Lispector (Ed. Rocco) 

Pedro e lua – Odilon Moraes (Ed. Jujuba)

ObaxAndré Neves (Ed. Brinque-Book) 

Um livro pra gente morar – Coletânea de poemas organizada por Silvia Oberg (Ed. Positivo)

Amoras – Emicida (Ed. Cia. Das Letrinhas)

Leia Também:

Confira a lista de livros para ler em casa – Parte 1

Confira a lista de livros para ler em casa – Parte 2

Compartilhe

Veja mais

Fique por dentro das novidades