Notícias

Escola de Dança emociona com a apresentação de “Frozen”

No domingo, 24 de novembro, mais de 250 bailarinas subiram ao palco do Teatro Positivo para apresentar o espetáculo “Frozen”, da Escola de Dança do Clube Curitibano. E não poderia ter sido mais perfeito. Familiares emocionados, bailarinas orgulhosas e a sensação de dever cumprido da equipe eram visíveis no final da apresentação, que reuniu mais de 2 mil pessoas.

Foram cerca de 8 meses de preparativos e ensaios para o grande dia. Quase toda a produção foi pensada e produzida dentro do Clube:  desde as músicas, inspiradas no sucesso da Disney, até o figurino. E claro, as coreografias de baléjazz e sapateado. E grande parte do que se viu partiu da mente criativa de Marlene Rodak, coordenadora da escola de dança do Clube Curitibano. “Os professores  recebem a ideia, uma musica da minha cabeça, e eles tem que coreografar. Eles se engajam, se esforçam, colaboram, ajudam a gente na direção cênica. Sem essa equipe maravilhosa isso não seria possível”, contou Marlene. Mais de 90 profissionais participaram da produção do espetáculo.

Subiram ao palco desde alunas da Baby Class (3 e 4 anos) até as turmas adultas. Na apresentação, as bailarinas puderam mostrar para pais, familiares e amigos a evolução que tiveram nas aulas durante o ano. “Esse é o objetivo do Clube Curitibano. Trazer as crianças para dentro do clube, fazer com que elas participem das atividades. E o caminho é certo: a dança traz felicidade”, comentou o Presidente Joaquim Miró. No encerramento do espetáculo, a associada Isadora Veloso Ferreira cantou a música tema do filme, “Let It Go”, acompanhada do Coral do Clube Curitibano.

Confira os registros da apresentação:


Fotos: Neni Glock/ Clube Curitibano

 

Emoção das bailarinas

Para contar a história das irmãs Anna e Elsa, três duplas de bailarinas foram selecionas para interpretar as personagens em diferentes idades. Bruna Festa, que fez uma das versões de Anna, participa desde muito nova das apresentações do Clube e se sentiu lisonjeada de ser uma das protagonistas: “Quando eu era pequena eu via as bailarinas principais e as achava perfeitas. Hoje eu sou uma delas e eu fico muito feliz”.

Gabriela Borra Teixeira de Freitas, uma das bailarinas que interpretou Elsa, contou sobre a emoção de subir no palco: “Quando você participa do espetáculo parece que vem uma luz, uma energia interna que vai brilhando e à medida que você vai dançando ela vai crescendo. E todo mundo está muito junto, porque nada funciona sem a colaboração”.

Mãe da bailarina Isabella, de 8 anos, Flávia Aragão Dalledone não poderia estar mais orgulhosa. Ela comentou que resultado final é consequência da dedicação de todos os envolvidos: “As nossas bailarinas são fantásticas. A equipe é fantástica. É um ano inteiro de preparativos e eu sei que eles fazem isso com muito amor, com muita dedicação. A gente vê o resultado no final e ficamos sempre maravilhados”.

Agora surgem as expectativas para a apresentação de 2020, que promete superar as dos anos anteriores.

Leia também:

Cia de Dança faz apresentação no Souq

Saci-pererê na Contação de Histórias de outubro

Compartilhe

Veja mais

Fique por dentro das novidades