Notícias
Arte: Jeniffer Gutierres/Clube Curitibano.

Tesouros do Clube: Fonte Velha, de Miguel Bakum

A obra da semana do Tesouros do Clube é do artista paranaense Miguel Bakun (1909-1963). Nascido no interior do estado, em Mallet, o pintor pós-impressionista e expressionista foi um dos pioneiros da Arte Moderna no Paraná. Autodidata, Bakun foi influenciado por Guido Viaro e João Baptista Groff.

Por volta de 1950, ele foi contratado pelo governador Moysés Lupion para executar vários painéis em sua residência. O projeto, que durou muitos meses para ser finalizado, encontra-se no castelo do Batel, em Curitiba. As obras do artista já foram expostas na casa Andrade Muricy, em 2009; no Museu Oscar Niemeyer em 2010; e em 2019, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

“Fonte Velha” retrata o monumento da cidade de Paranaguá, também chamado de “Fontinha” e “Fonte de Cima”. Sua construção remonta ao século XVII e é a mais antiga construção em alvenaria militar do município.

Olho d’água natural e potável, que os índios Carijós chamavam de Camboa, e que significava lugar de água boa. Foi o primeiro reservatório de água do litoral, servindo à vila e depois ao povoado de Paranaguá por mais de 200 anos. Este belo quadro pode ser apreciado nas dependências da secretaria da Sede Concórdia.

Obra: Fonte Velha, de Miguel Bakum.

Leia também:

Tesouros do Clube: Retrato do Barão do Serro Azul, de Waldemar Curt Freyesleben

Tesouros do Clube: Dama com Violino, de Maria Szánthó

 

Compartilhe

Veja mais

Fique por dentro das novidades