Notícias
Arte: Alisson Stasiak/Clube Curitibano.

Um Centenário de Histórias: A exibição de filmes no Clube

O cinema é um tema presente no Clube Curitibano há muito anos. Existem registros de exibições de filmes nas revistas do Curitibano no início dos anos 1950, durante a gestão do presidente Joffre Cabral (1949-1951). As sessões eram gratuitas e transmitidas semanalmente na Sociedade Duque de Caxias. Sempre eram transmitidos os últimos lançamentos do período.

Os festejos de inauguração da nova sede social na Rua Barão do Rio Branco contaram com sessões especiais e “matinées” para crianças e jovens. A partir daí, as transmissões passaram a ser no auditório da sede. Algumas vezes havia uma programação especial para crianças aos domingos de manhã, com exibição de curta-metragens, comédias e animações. Nessas ocasiões, também havia distribuição de doces.

O sucesso era grande. Entre fevereiro e março de 1951, 2.190 pessoas assistiram filmes no Clube! De acordo com pesquisas da época, o cinema era a segunda atividade recreativa favorita dos associados, com 15% de votos.

Durante os anos 1970, algumas ocasiões especiais marcaram o cinema do Curitibano, com eventos de gala e coquetéis. Foi o caso da “Noite do Cinema Brasileiro”, com a exibição do Filme “TATI”, que contou com a presença do diretor, Bruno Barreto, e da atriz principal, Dina Sfat. Foram criados festivais como o “Festival do Filme Nacional”, que contou com exibições de diretores como Nelson Pereira dos Santos e Cacá Diegues.

Também foram feitas parcerias com outros órgãos, como a Fundação Cultural de Curitiba e o Consulado da Alemanha, que permitiram a exibição de filmes de arte, curtas premiados, entre outros. O cinema do Clube continuou ativo até meados dos anos 1980.

Vale ressaltar a importância que essa atividade teve ao longo dos anos ao possibilitar a confluência de diversas pessoas nos auditórios e a popularização da sétima arte. Isso fez com que o cinema entrasse para história cotidiana do Clube Curitibano.

Leia também:

Um Centenário de Histórias: Saudosas Gincanas

Um Centenário de Histórias: Mário Pilotto e suas “reminiscências”

Compartilhe

Veja mais

Fique por dentro das novidades